Apresentação

Os estudos literários promovem a reflexão sobre os processos de simbolização do mundo em que vivemos; o ponto desse trabalho é a imaginação e seus dispositivos. A literatura é uma forma de trabalho culturalmente organizada que se materializa e opera nas artes e nas diferentes textualidades que perpassam o espaço social moderno e contemporâneo. No trabalho de formação de profissionais para o ensino e a pesquisa que é desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Literatura os textos são tomados como marcas ou sintomas nos quais emergem conflitos, contrastes e diretrizes a serem considerados e estudados sob diferentes perspectivas disciplinares, articuladas em uma rede que envolve a literatura, as artes visuais, o cinema e as artes cênicas, a antropologia, a filosofia e a historiografia, notadamente. É objetivo do PPGL a formação de profissionais altamente qualificados na área de literatura para atender às demandas das várias áreas das artes e humanidades.

O Programa de Pós-Graduação em Literatura completou no ano de 2012 quarenta e um anos de existência. O curso desde seu início foi considerado pelas Comissões de Avaliação da CAPES como um curso de excelência, quando a avalição era por atribuição de conceitos sempre foi avaliado como um curso A e, posteriormente, nas sucessivas avaliações numéricas, foi avaliado com o conceito 5.

Em 1991, duas décadas depois da criação do Curso de Pós-Graduação em Literatura, no nível de mestrado, e como resultado de um processo de reestruturação interna deflagrado em 1988, abriu-se uma segunda área de concentração neste mestrado, na área da Teoria Literária, área credenciada pelo CFE, através do parecer 609, de 6 de outubro de 1993. Finalmente, em 1997, criou-se o Doutorado em Teoria Literária, caracterizando-se o Programa como Pós-graduação em Literatura, nos níveis de Mestrado e Doutorado.  O Programa, especialmente em função do seu histórico, recebeu então da Comissão de Avaliação da CAPES, o conceito 5, que foi sendo mantido nos processos posteriores de avaliação.

Durante os quarenta e um anos de sua existência o Programa de Pós-Graduação em Literatura formou quinhentos e um mestres e titulou cento e setenta e oito doutores. Quanto ao tempo médio de titulação do Mestrado, ele se enquadra no tempo máximo estipulado pela comissão de avaliação da CAPES, já que se mantém próximo a 24 meses (segundo os últimos dados disponíveis) e do Doutorado entre 47 e 50 meses. Atualmente o Programa está disponibilizando não só os resumos e os dados dos autores como também as dissertações e teses defendidas nos últimos anos, através do site oficial da Biblioteca Central UFSC. Em toda defesa de dissertação de mestrado ou tese de doutorado, o Programa sempre indicou (e continua fazendo disso uma prática) um avaliador externo, no caso do mestrado e dois no doutorado, aos quadros da UFSC, cuja participação desdobra-se, de maneira geral, em atividades acadêmicas voltadas ao corpo docente e ao discente.

O Programa de Pós-Graduação em Literatura mantém dois periódicos próprios: Travessia (39 números publicados) que, depois de 2003, reestruturada, inclusive portadora de outro ISSN, com o novo título de outra travessia, classificada como A2, sucedeu a antiga revista na sua tarefa de ser veículo dos debates teóricos fomentados pelo Programa (com 13 números publicados até o momento), e o Anuário de Literatura, classificada como B2, revista que privilegia, sobretudo, o corpo discente (17 números). O conjunto total de todas essas publicações está inserido no Portal de Periódicos da UFSC:  http://www.periodicos.ufsc.br

O Programa vem realizando um grande esforço para formalizar as novas demandas institucionais que passaram a atingi-lo nos anos mais recentes. Em razão do incremento do corpo docente, graças à contratação de jovens professores, na área de Letras, pela Universidade Federal de Santa Catarina, que passa por um forte processo de expansão, professores esses se credenciaram no PPGL e, com isso, ampliou-se o campo e a  abrangência das investigações produzidas na âmbito do Programa. Desse modo, enquanto outros cursos de pós-graduação em Letras no país operacionalizaram com mais êxito as novas exigências acadêmicas, o PPGL foi forçado a dedicar especial atenção a equacionar suas novas demandas internas para, então, responder com propriedade às demandas externas.

No intuito de responder às suas atuais demandas internas, o Programa de Pós-Graduação em Literatura instaurou, no ano de 2011, um amplo processo de reestruturação curricular, bem como propôs e aprovou um novo regimento no qual  novas normas para credenciamento e recredenciamento de professores foram estipuladas, normas essas plenamente de acordo com as orientações da Diretoria de Avaliação da CAPES. Houve a reestruturação das linhas de pesquisa e da área de concentração do Programa. Deve-se ressaltar que essas mudanças não se apresentaram de modo abrupto e muito menos de forma arbitrária ou autoritária. Elas são decorrentes de um lento processo de leitura e releitura histórica e literária operada no trabalho de pesquisa de cada professor mais antigo do Programa, a que se soma o incremento que pouco a pouco a pesquisa de cada jovem professor foi aportando e, com isso, ampliando o espectro da capacidade de formar profissionais do PPGL. Materializou-se, dessa maneira, isto é, com o trabalho de pesquisa e de formação de pesquisadores e de docentes, o objetivo de formar profissionais com novos perfis, adequados às complexidades sociais para atuar na docência, na pesquisa qualificada e nos vários setores da cultura. Os egressos do PPGL passarão com isso a ter uma formação que lhes permitirá atuarem no mercado de trabalho como pesquisadores, profissionais ligados à cultura e professores que estão aptos a lidarem com a complexidade da cena cultural contemporânea e seu espaço simbólico, onde as linguagens artísticas exigem outros desdobramentos teóricos alimentados, inclusive, por tradições precedentes, por sua vez, não isentas de serem afetadas pelo contínuo fluxo dos acontecimentos. O profissional egresso do Programa de Pós-Graduação em Literatura continuará produzindo, em suas práticas, uma forte intervenção teórica, na qual convergem diferentes áreas do saber. Portanto, no processo de reestruturação das linhas de pesquisa, o Programa de Pós-Graduação em Literatura buscou para o seu egresso um caráter inovador para as intervenções culturais produzidas pelo profissional, fortalecido por um perfil criativo, na medida em que o pensamento foi concebido como performance ou como experiência, e não apenas como uma articulação erudita dos campos antes estabelecidos. A questão não é apenas a adição de saberes, mas a transformação das práticas, a metamorfose da intervenção crítica. Trata-se, de um lado, de questionar a tradição no trânsito entre as áreas sem, no entanto, mudar de campo teórico, reiterando o implícito dos conceitos fundadores. E, de outro lado, trata-se de mudar o espaço conceitual, de forma descontínua, mas consistente, instalando-se no exterior da área disciplinar tal como tradicionalmente cristalizada, de modo a afirmar, em seu interior, a desconfiança. O profissional egresso do curso deverá estar ciente do risco de deixar-se capturar por uma reinstalação que o leva de volta ao interior mesmo do qual se ambicionava afastar. Por esse perfil “inter” e “intra” disciplinar o PPGL ampliará o interesse por alunos egressos de Universidades localizadas em várias regiões do estado de Santa Catarina, do Brasil e da região sul latino-americana.

O PPGL, devido ao seu caráter de trânsito entre diferentes áreas disciplinares, criado pelo amadurecimento, produtividade e ampliação de seu corpo docente, atendeu, durante os últimos anos, alunos vindos de diversos seguimentos disciplinares que receberam, contudo, uma formação disciplinar que transita entre as várias áreas das artes e das humanidades. O profissional egresso do PPGL oriundo de outras áreas pôde algumas vezes voltar a atuar nas suas áreas de formação, mas o fez com um novo perfil. Vale mencionar que o PPGL recebeu estudantes vindos de outras áreas das Ciências Humanas e das Artes, como por exemplo, da Antropologia, da Filosofia, da História, do Direito, das Artes Cênicas, do Cinema, das Artes Visuais, da Música. Já para o caso dos profissionais da área de Letras, estes receberam uma formação ampla e diversificada, que permitiu que eles realmente estivessem aptos a promover uma prática de renovação no seu campo de atuação.